Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé
Do sonho de aprender no Senac à ousadia que rendeu prêmio

Publicado em: 21 Jun 2016 | GASTRONOMIA

O filho mais velho que cozinhava para ajudar nos afazeres da casa ainda não tinha escolhido a Gastronomia como carreira profissional quando saiu da comunidade de Itajuba, no município de Curuçá, interior do Pará, rumo à capital Belém. Ele também não imaginava que em 2016 conquistaria o 1º lugar no concurso “Enchefs Pará”, com o “Confit de Pato com Geleia de Jambu, Aligot de Pupunha e Beiju Chica”, em uma releitura cheia de personalidade e ousadia do típico Pato no Tucupi. (Veja a galeria de fotos abaixo)

Leonardo Modesto, de 29 anos, aprendeu a cozinhar muito cedo, utilizando os insumos produzidos na lavoura da família de agricultores. Destas raízes ele colheu inspirações para o trabalho que desenvolve agora como cozinheiro, aliando ingredientes comuns à mesa do povo paraense e técnicas de culinária profissional. Com tais características, Leonardo recebeu, além o prêmio, o posto de Embaixador da Gastronomia Paraense, para o Encontro Nacional de Chefs (Enchef) em 2017. A colocação foi concedida com a vitória da etapa local do concurso, realizado pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) no dia 14 maio, dentro da programação do Festival Brasil Sabor.

“Quando cheguei a Belém, em 2005, ainda não tinha despertado para essa área. Trabalhei como embalador de supermercado e depois fui para a lanchonete do estabelecimento. Esse foi o meu primeiro contato com alimentação em um emprego, mas a culinária ainda era apenas uma coisa que eu gostava de fazer e não uma possibilidade profissional. Depois de passar por outro emprego, desta vez em uma cozinha industrial, comecei a me identificar de verdade e a perceber que eu tinha aptidões desde quando inventava comidas diferentes para fugir do trivial, no interior”, relembra.

Ao perceber o seu potencial para o ramo, Leonardo passou a nutrir o sonho de aprender as técnicas profissionais em um curso do Senac. “Houve um período em que tinha dois empregos. Trabalhava como auxiliar de cozinha e conciliava com outra atividade que não era ligada à culinária. Eu tinha muita vontade de fazer o curso no Senac, para me qualificar realmente no que eu tinha afinidade, ter uma formação completa de cozinheiro por uma instituição de referência, como o Senac, para assim poder almejar um salário melhor, me tornar um profissional realmente. Acontece que naquele momento eu não consegui fazer o curso, por falta de tempo e também de dinheiro, mas tracei essa meta e não desisti”, conta.

Para chegar ao objetivo de se formar cozinheiro, Leonardo deixou um dos empregos e passou a gerar uma renda extra produzindo e vendendo brownies. “Nesse mesmo período cobri as férias de um amigo na cozinha de um restaurante e durante este trabalho criei uma receita para a apresentação do estabelecimento na programação Chefs na Praça, do Festival Ver-o-Peso da Cozinha Paraense. Essa receita foi muito bem aceita e isso instigou ainda mais a vontade de seguir na carreira da gastronomia”, explica.

Leonardo ingressou na turma do 2º semestre de 2015 do curso de Cozinheiro do Senac, no Centro de Educação Profissional de Belém e se tornou um profissional qualificado, dando um importante passo em sua formação. “No Senac pude enxergar Belém em relação à gastronomia. As aulas expositivas e participativas, além das oportunidades de conhecer eventos do circuito local, ajudaram bastante no aprendizado das técnicas de cozinha, os nomes corretos dos utensílios, dos processos, a necessidade de organização, produção de ficha técnica e tudo que exige uma cozinha profissional. Muitas coisas eu desconhecia, mesmo já tendo trabalhado na área, principalmente as orientações sobre postura do cozinheiro, empreendedorismo, criatividade, manipulação de alimentos, etc.”

O ex-aluno fez parte da primeira turma do curso de Cozinheiro no Pará alinhada ao Modelo Pedagógico Nacional do Senac e esta nova visão educacional não passou despercebida. “A proposta de colocar o aluno em sala de aula nas situações que acontecem na realidade de uma cozinha é muito importante, porque ajuda o aluno a saber lidar com o tempo, com os imprevistos, trabalhar em equipe dividindo tarefas, respeitando os colegas. Ou seja, o que é visto na teoria é praticado como se estivéssemos na rotina da profissão, o que prepara a pessoa para atuar em qualquer cozinha”, descreve Leonardo, que vivenciou uma situação competitiva durante o Projeto Integrador do curso, onde a turma executou o Festival Gastronômico do Senac elaborando pratos criativos inspirados nas características de cada região do Pará.

O prêmio de 1º lugar no “Enchefs Pará”, apenas alguns meses após o curso, representou uma grata surpresa ao jovem cozinheiro, porém não tirou o foco de continuar se capacitando para se tornar um empreendedor no segmento. “A receita do Confit de Pato com Geleia de Jambu, Aligot de Pupunha e Beiju Chica” foi criada exclusivamente para o concurso. Me surpreendi com a reação dos jurados, pois é um prato complexo tanto no preparo quanto nos ingredientes, por se tratar de uma releitura que harmoniza e interpreta de outras formas sabores muito conhecidos. Fiquei muito feliz porque eles viram personalidade na receita e valorizaram a ousadia de apresentar algo arriscado em uma competição”, acrescenta o ganhador.

Atualmente Leonardo está fazendo curso superior em Gastronomia, trabalha como cozinheiro autônomo, e desenvolve dois projetos, sendo um voltado a produtos regionais de agricultura familiar e o outro para a cozinha amazônica de raiz. Passada a etapa local, Leonardo disputará a etapa nacional do concurso Enchef, além de já ser um dos três indicados do Pará ao Prêmio Dólmã 2016, levando consigo as marcas formativas do Senac.

Texto: Daniele Brabo
Foto: Arquivo Pessoal
Comunicação Senac/PA

Galeria de fotos


Em caso de dúvidas, entre em contato através de nossa Central de atendimento ou através de nossa fanpage no Facebook.




Mais notícias

Mais notícias



Em caso de dúvidas

Entre em contato conosco.

0800 701 4492
atendimento@pa.senac.br