Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé
Acessibilidade permite qualificação profissional para todos os públicos

Publicado em: 12 Ago 2016 | INCLUSÃO SOCIAL

O Senac não mede esforços para proporcionar o acesso dos diversos públicos aos seus cursos e atividades. Por este motivo, a instituição vai além das questões de infraestrutura e está sempre se adequando para oferecer capacitação profissional a pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, possibilitando que participem da programação regular da instituição.

A jovem Larissa Gabriela de Souza sempre se interessou por tecnologia. Atualmente ela é universitária na área de Sistemas de Informação e quis fazer o curso de Montador e Reparador de Computadores para conhecer a parte mais técnica do segmento que está estudando. A ausência total da visão não atrapalhou em nada o desempenho de Larissa, muito menos em sua determinação pela busca de mais conhecimentos.

“Não senti dificuldade alguma em acompanhar o andamento da turma. No Senac eu fui muito bem acolhida pelos colegas e pela equipe. A instituição disponibilizou tudo que foi necessário para tornar o conteúdo do curso acessível, digitalizando livros e apostilas e instalando o aplicativo para converter texto em áudio no computador”, contou Larissa, durante uma das aulas práticas no Centro de Educação Profissional de Tecnologia da Informação e Comunicação em Belém.

Pessoas Com Deficiência* (PCD) podem se matricular em qualquer curso do Senac. É a instituição que se prepara para receber estes alunos, preocupando-se em garantir que ele possa ter acesso a todas as ferramentas de forma igualitária. De acordo com a gerente do Senac/PA, Luciana Cabral, tanto a equipe pedagógica quanto os instrutores passam por um alinhamento das práticas educativas dentro de uma visão inclusiva.

“Para receber a Larissa, fizemos reuniões de orientação, preparamos o laboratório de informática com os programas de síntese de voz Dosvox, Mecdaisy, NVDA e Balabolka, solicitados por ela. Adquirimos também luvas antiestáticas, pois os alunos do curso de Montador e Reparador utilizam pulseiras para eliminar a energia do corpo e evitar o comprometimento de peças dos computadores, porém, observamos que, pelo fato da Larissa usar o tato para a identificação, seria importante ter essa ferramenta própria para ela”, explicou.

A instrutora do Senac Pâmela Rússula reforçou que a integração de pessoas com deficiência nos cursos é positiva tanto para este aluno quanto para o restante da turma. “É um exercício social muito bom, de combate à exclusão, de respeito das diferenças através do convívio em sala de aula. É muito ver a integração de todos nos trabalhos em grupo, o que já preparam para esta convivência no mundo profissional”, pontuou a docente.

*De acordo com definição do Governo Federal, através da portaria 2.344 de 2010, por Lei o termo correto a ser usado é Pessoa Com Deficiência (PCD). A decisão foi tomada pelo Conselho Nacional da Pessoa com Deficiência, retirando oficialmente a palavra “portador”.
Texto e fotos:
Daniele Brabo
Comunicação Senac no Pará

Galeria de fotos


Em caso de dúvidas, entre em contato através de nossa Central de atendimento ou através de nossa fanpage no Facebook.




Mais notícias

Mais notícias



Em caso de dúvidas

Entre em contato conosco.

0800 701 4492
atendimento@pa.senac.br